Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado de Santa Catarina

Diretores de unidades hospitalares se reúnem com a SES para discutir recursos da PHC

Com o objetivo de esclarecer as principais dúvidas em relação aos repasses de aportes da Política Hospitalar Catarinense e a destinação de recursos de convênios específicos, a secretária de Estado, Carmen Zanotto, realizou uma reunião na manhã de hoje com os presidentes da AHESC-FEHOSC e representantes de outras entidades, além dos diretores das unidades hospitalares que prestam serviço ao SUS no Estado.

A reunião foi aberta com uma fala da secretária, que ressaltou a necessidade de discutir a Política Hospitalar Catarinense e envolver todos os entes envolvidos. Durante a exposição da secretária, ela ressaltou a questão de convênios, afirmando que é necessário que haja revisão pois há casos em que há duplicidade com o mesmo objeto de custeio.

Outro ponto levantado pela SES foi o aporte do governo federal dentro do plano de avanço das cirurgias eletivas em esfera nacional, que prevê R$ 300 milhões, sendo que 20 milhões foram destinados a SC via fundo de saúde.

A presidente da FEHOSC, Irmã Neusa Lúcio Luiz, iniciou a fala reforçando as ações da entidade e o amadurecimento da discussão, lembrando de reunião realizada com a secretária no dia 12 de abril: “levamos a preocupação sobre a questão das eletivas, principalmente a angústia que se passa no setor em relação a como fazer os procedimentos. O quanto os hospitais vão receber por isso. A questão da demanda, o volume e a capacidade das instituições de cumprir o plano operativo. Por conta dessa incerteza, essa insegurança que se passa no setor, é que precisamos ampliar o debate. Este diálogo é importante porque precisamos dar clareza às atribuições das unidades”, disse.

O presidente da AHESC, Maurício José Souto-Maior, reitera: “a nossa preocupação é comum, nós temos a rede hospitalar impactada e com essa demanda. É importante destacar, ainda, que os hospitais que são referência sofrem com demandas que vem aumentando, que são as cirurgias de urgência, tomando o espaço desses hospitais, o que acaba prejudicando o plano operativo das eletivas. Precisamos pensar em um sistema de regulação dos hospitais que são porta e são de alta complexidade, redes de atuação e referenciamento de pacientes. Ficamos otimistas que esta discussão esteja posta, pois, para que haja capacidade operacional, é necessário custeio adequado. Assim, a AHESC é parceira na construção desta discussão” afirmou.

A secretária ouviu as demandas dos hospitais e designou uma nova reunião com as equipes técnicas e representantes das regionais para se discutir a situação específica de algumas unidades. Na tarde de hoje, os presidentes da AHESC-FEHOSC participarão, hoje à tarde, de encontro com a equipe técnica para afinar ainda mais a pauta.

A secretária Carmen propôs, ainda, a instalação de uma linha direta onde sejam repassadas aos hospitais as principais deliberações da CIB e da CIT. Integrantes das unidades hospitalares sugeriram que sejam realizados encontros, e a SES se comprometeu a realizar pelo menos uma reunião mensal para ampliar a comunicação e trabalhar juntos, buscando o entendimento entre todos os envolvidos e o benefício dos cidadãos catarinenses na saúde.

Torne-se um associado da FEHOSC

Você também pode ser um associado da Federação e usufruir das muitas vantagens e benefícios em assessoria e atuação técnica