Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado de Santa Catarina

Um dia de grandes vitórias para a CMB

Numa iniciativa vitoriosa do deputado Antonio Brito aconteceu no final da tarde desta terça-feira (22/02), na Câmara dos Deputados, a reativação da Frente Parlamentar de Apoio a Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas da área de saúde. O presidente da CMB José Reinaldo Junior e o vice Saulo Coelho lá estiveram na companhia dos diretores Luiz Nivaldo da Silva, Mirócles Veras, Vilson Santin, Maçazumi Niwa e dos presidentes de federações estaduais de santas casas Paulo Magnus, Oswaldo Balparda, Padre Francisco, Maurício Dias e Benedito Marques. Mas, não foram apenas eles que estiveram prestigiando esse grande evento, mais de meia centena de provedores, presidentes, diretores e administradores de hospitais filantrópicos prestigiaram a iniciativa de Brito.

A Frente, de caráter suprapartidário, é composta por 253 deputados federais e 5 senadores e deverá continuar recebendo adesões expressivas a partir desta reativação e tornar-se o maior movimento político organizado em defesa de uma causa. Um movimento dessa grandeza também foi prestigiado pelo Ministro da Saúde Alexandre Padilha e vários de seus secretários e assessores.

Num pronunciamento objetivo e claro, Padilha reconheceu o extraordinário papel que as santas casas e hospitais filantrópicos realizam no âmbito do Sistema Único de Saúde, respondendo por cerca de 5 milhões (45%) de todas as internações do sistema público de saúde e com uma capilaridade em todo o território nacional. Não há como o SUS avançar sem o concurso direto dessas instituições, razão pela qual o segmento deverá merecer todo o apoio desse Governo.

José Reinaldo Junior compôs a mesa principal na companhia do Ministro Padilha e dos deputados Antonio Brito, José Linhares e Darcísio Perondi, Benedita da Silva, André Zacharow e outros. Ao fazer uso da palavra o presidente da CMB apresentou os principais números que bem caracterizam o papel do segmento, defendendo a necessidade de mudanças para que esse papel não seja interrompido. Segundo ele, em 2009, esses hospitais tiveram um custo de pouco mais de R$12 bilhões para o atendimento aos beneficiários do SUS e receberam apenas R$ 7,9 bilhões, o que gerou um déficit de R$ 4,1 bilhões.

Muitos parlamentares presentes e integrantes do movimento fizeram pronunciamentos de apoio ao segmento filantrópico da saúde.

Mas, as atividades do dia não ficaram apenas nesse grande evento, às 21 horas Alexandre Padilha recebeu a Diretoria da CMB, deputados e senadores da Frente, além de diretores de hospitais para uma audiência em seu Gabinete, na Pasta da Saúde. O ministro recebeu das mãos do presidente da CMB, José Reinaldo Junior, um documento com informações detalhadas sobre a atuação das santas casas e hospitais filantrópicos e as reivindicações consideradas mais urgentes para o equilíbrio do setor. Destaques para a solicitação da revitalização do Programa de Reestruturação e Contratualização dos Hospitais Filantrópicos no SUS; implantação de um programa de cuidados continuados, especialmente voltado para a população de idosos e drogados; constituição de redes de cuidados; aperfeiçoamento da legislação da filantropia, entre outros.

Mais uma vez o ministro Padilha foi enfático em reconhecer a pertinência dessas reivindicações e o desejo de atendê-las no menor tempo possível, para o que já determinou novos encontros de trabalho com o seu secretariado.

Ao final, José Reinaldo agradeceu o acolhimento do ministro e colocou toda a estrutura da CMB e das suas federações estaduais à disposição daquele ministério. Na sua opinião, inquestionavelmente o ministro Alexandre Padilha deixou a melhor das impressões em todos que participaram dessa audiência.

Superintendência da CMB

Torne-se um associado da FEHOSC

Você também pode ser um associado da Federação e usufruir das muitas vantagens e benefícios em assessoria e atuação técnica